Papa faz apelo contra guerra na Síria.

Papa faz apelo contra guerra na Síria.

Completa 10 anos, e o conflito já deixou pelo menos 380 mil mortos

O papa Francisco fez neste domingo (14) um novo apelo em defesa do fim da guerra civil na Síria.

O líder católico pediu que “as partes em conflito manifestem sinais de boa vontade, para que se possa vislumbrar uma esperança para uma população exausta”.

 “Torço por um decisivo e renovado empenho construtivo e solidário da comunidade internacional, de modo que, depostas as armas, se possa reconstituir o tecido social e iniciar a reconstrução e a retomada econômica”.

Francisco ainda ressaltou que o “sanguinário conflito na Síria” causou “uma das piores catástrofes humanitárias de nosso tempo”.

A guerra na Síria começou no regime de Bashar al-Assad, no poder desde 2000, as manifestações contra o autoritarismo do governo, inspiradas pela Primavera Árabe.

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, pelo menos 380 mil pessoas morreram nos conflitos, mas o número pode ser ainda maior.

Apoiado por Irã e Rússia, Assad é tido como vencedor da guerra, mas ainda não recuperou o controle sobre a totalidade do território sírio.

Algumas áreas, no entanto, estão sob as mãos de terroristas apoiadas pela Turquia, que defende a queda de Assad.

O Estado Islâmico (EI) também chegou a dominar vastos territórios na Síria, porém acabou derrotado por uma coalizão liderada pelos EUA.

A Polícia Metropolitana de Londres, no Reino Unido, abriu uma investigação por crimes de guerra contra Asma al-Assad, esposa do presidente da Síria.

 A informação é da rede SkyNews. Caso Asma seja incriminada, a Justiça britânica poderá pedir sua extradição. O inquérito nasceu de relatórios produzidos pelo grupo de direitos humanos Guernica 37, que passou meses investigando a primeira-dama.

  Segundo a organização, Asma faz parte de um grupo de “pessoas influentes” que utilizou uma “campanha propagandística” e táticas de “desinformação” para defender o regime.

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *